Dica de Livro: Orgulho e Preconceito - Assuntos e Achados da Scheila

11/02/2018

Dica de Livro: Orgulho e Preconceito

Dica de Livro: Orgulho e Preconceito
Sinopse: Na Inglaterra do final do século XVIII, as possibilidades de ascensão social eram limitadas para uma mulher sem dote. Elizabeth Bennet, de vinte anos, uma das cinco filhas de um espirituoso, mas imprudente senhor, no entanto, é um novo tipo de heroína, que não precisará de estereótipos femininos para conquistar o nobre Fitzwilliam Darcy e defender suas posições
com perfeita lucidez de uma filósofa liberal da província. Lizzy é uma espécie de Cinderela esclarecida, iluminista, protofeminista.

Opinião: Jane Austen foi uma escritora fenomenal, uma mulher a frente de seu tempo. Seus romances ultrapassam a barreira das simples histórias de amor, e Orgulho e Preconceito não é diferente, suas páginas são recheadas de críticas à sociedade da época, conflitos históricos, reflexões sobre moral, ascensão da mulher, entre muitas outras observações. Nesta obra, Jane construiu diálogos perfeitos sobre os valores morais da sociedade inglesa.

O livro apresenta ao leitor os Bennets, casal com cinco filhas, das quais, segundo o Sr. Bennet, somente as duas mais velhas (Jane e Elizabeth) têm algum senso. Mary, busca desenvolver seu talento na música, Lydia é a mais nova das irmãs, uma moça fútil que só pensa em flertar com os militares e Catherine que é praticamente a sombra da irmã caçula. O maior desejo da Sra. Bennet é arrumar bons pretendentes para as filhas, e quando descobre que Netherfield está prestes a ter um novo inquilino: o jovem e rico Sr. Bingley, ela começa os preparativos para apresentar suas filhas ao novo vizinho.

É em um baile que acontece o primeiro contato das Bennets da casa com o Sr. Bingley. Logo ele apresenta Caroline Bingley, sua irmã; o Sr. Hurst, seu cunhado e sua esposa, Louisa Hurst; e o Mr. Darcy, um amigo. Nasce então uma profunda antipatia de Elizabeth por Darcy. Conforme a história avança, o leitor vê Jane se apaixonando cada vez mais por Bingley e Elizabeth detestando mais e mais o orgulhoso Darcy, principalmente após conhecer o Sr. Wickham, um dos militares que cresceu com Mr. Darcy, que lhe conta todas as injustiças que o amigo fez a ele.

Publicado pela primeira vem em 1813, Orgulho e Preconceito é uma história simples, ingênua à primeira vista, mas analisada mais a fundo percebe-se a riqueza de detalhes sobre uma sociedade na qual mulheres não tinham voz, não tinham vez, eram tratadas com inferioridade, e no final do XVII na Inglaterra, as possibilidades de ascensão social eram praticamente nulas para mulheres sem dote. 

Jane Austen também faz uma crítica mordaz a futilidade das mulheres e dos ingleses em geral. Os diálogos revelam a hipocrisia, a maldade e o orgulho dos aristocráticas em relação aos membros da "nova sociedade". Pode soar estranho, mas vejo nos dias atuais o mesmo preconceito narrado no livro. Orgulho e Preconceito não é uma história rasa e despretensiosa como muitos a veem, mas um corajoso contexto econômico-social daquela sociedade, onde a hipocrisia reinava poderosa entre as pessoas.

Minha Nota: 1star1star1star1star1star

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço a visita!! Beijos da Scheila!!